Segunda-feira, 5 de Setembro de 2011

FOTOGRAFANDO O MEU ALENTEJO

 

Fotografia: Amareleja - Valtamujo Setembro de 2011 

 

Pôr do Sol
 
E se aquele pôr do sol fosse eu?
Se eu desaparecesse assim?
A minha vida, e tudo o que sucedeu...
Eu não passaria de uma flor de jardim
E na verdade, posso não ser o pôr do sol
Mas os momentos são mais fugazes que isso
E o tempo algo extremamente impreciso

Eu, eu sou apenas uma folha ao vento
Vendo mil pôr do sois
Aproveitanto cada escasso raio, cada momento
Mas não consigo ter a segurança da manhã
Não me fio em Deus, sou como que pagã
E miro o pôr do sol, temendo a noite
E agradecendo a sorte
De um ultimo raio de luz
Daquele doce brilho, que tanto me aquece
Essa luz que me esquece
Mas que tanto me seduz...
 
amarelejando às 22:05
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quinta-feira, 11 de Agosto de 2011

AMANHÃ O SOL BRILHARÁ


Não tem importância, é só hoje;
Amanhã o Sol vai brilhar e aquecer,
Enquanto esta agonia de mim foje,
Prometo que não voltarei a entristecer.

Sim, é só hoje que cai neve.
Amanhã o Sol brilhará com fulgor
Iluminando nossas almas ao de leve
Como se fosse a abertura duma flor.

Hoje cai chuva, e bem grossa.
Amanhã soprará uma briza morna
Para compensar esta amargura bem nossa
Que este inverno bem malditos nos torna.

Sim! amanhã, amanhã será o dia
Em que o Sol vai brilhar e aquecer,
Suave, o perfume das flores irradia
Nestas encostas e vales, quando o Sol nascer.

Amanhã é o dia reservado ao Amor,
E a fragrância das flores confunde-se na maresia.
Amemo-nos pois, e com todo o ardor.
Que felizes seremos, sim amanhã é o Dia.

...EM QUE HAVERÁ MAIS CALOR...
amarelejando às 01:23
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 7 de Junho de 2011

AOS LEITORES AMIGOS

Poetas não podem calar-se,
Querem às turbas mostrar-se.
Há de haver louvores, censuras!
Quem vai confessar-se em prosa?
Mas abrimo-nos sob rosa
No calmo bosque das musas.

 

Quanto errei, quanto vivi,
Quanto aspirei e sofri,
Só flores num ramo — aí estão;
E a velhice e a juventude,
E o erro e a virtude
Ficam bem numa canção.

 

Johann Wolfgang von Goethe (1749 - 1832)

amarelejando às 08:30
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 28 de Maio de 2011

PEDRAS NO CAMINHO

 

Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes,

Mas não esqueço de que minha vida

É a maior empresa do mundo…

E que posso evitar que ela vá à falência.

Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver

Apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.

Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e

Se tornar um autor da própria história…

É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar

Um oásis no recôndito da sua alma…

É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.

Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.

É saber falar de si mesmo.

É ter coragem para ouvir um “Não”!!!

É ter segurança para receber uma crítica,

Mesmo que injusta…

 

Pedras no caminho?

Guardo todas, um dia vou construir um castelo…

 

amarelejando às 23:20
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quinta-feira, 30 de Dezembro de 2010

NEM TUDO É FÁCIL

Foto: Amarelejando - Setembro de 2010

 

 

É difícil fazer alguém feliz, assim como é fácil fazer triste.
É difícil dizer eu te amo, assim como é fácil não dizer nada
É difícil valorizar um amor, assim como é fácil perdê-lo para sempre.
É difícil agradecer pelo dia de hoje, assim como é fácil viver mais um dia.
É difícil enxergar o que a vida traz de bom, assim como é fácil fechar os olhos e atravessar a rua.
É difícil se convencer de que se é feliz, assim como é fácil achar que sempre falta algo.
É difícil fazer alguém sorrir, assim como é fácil fazer chorar.
É difícil colocar-se no lugar de alguém, assim como é fácil olhar para o próprio umbigo.
Se você errou, peça desculpas…
É difícil pedir perdão? Mas quem disse que é fácil ser perdoado?
Se alguém errou com você, perdoa-o…
É difícil perdoar? Mas quem disse que é fácil se arrepender?
Se você sente algo, diga…
É difícil se abrir? Mas quem disse que é fácil encontrar
alguém que queira escutar?
Se alguém reclama de você, ouça…
É difícil ouvir certas coisas? Mas quem disse que é fácil ouvir você?
Se alguém te ama, ame-o…
É difícil entregar-se? Mas quem disse que é fácil ser feliz?
Nem tudo é fácil na vida…Mas, com certeza, nada é impossível
Precisamos acreditar, ter fé e lutar para que não apenas sonhemos,

Mas também tornemos todos esses desejos, realidade!!!

 

Cecília Meireles

  

  

 

2010 foi um ano difícil?

Mas quem é que disse que eu gosto de coisas fáceis!!!

 

 

Votos de um excelente 2011 para todos.

 

amarelejando às 15:08
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Sexta-feira, 24 de Dezembro de 2010

NESTE NATAL...

Este Natal

Não cruzes os braços

Traz Augusto Gil para a tua janela

E cisma na sua balada, através da vidraça

Levanta os braços miniaturas

Dos pezitos de criança, que na neve

Imprime a traça

 

Este Natal

Não cruzes os braços

Conta a Miguel Torga uma história antiga

E não deixes que matem as crianças

De fome, de frio, de abandono

Esse palmo de sonho

Basta

 

Este Natal

Não cruzes os braços

Vai com Nascimento à Madeira

Onde o Natal não é convencional

Nem pinheiros, nem neve, nem pastores

Somente o riso das crianças

Que em toda a parte é sempre igual

 

Este Natal

Não cruzes os braços

Convida Natália Correia para falar de amor

Acolhe todas as crianças

E na tua fraternidade

Coloca o que a infância pedia às andorinhas

Sentimento com vozes e com pinhas

 

Este Natal

Não cruzes os braços

Vai com Mourão Ferreira ao cais da maresia

Junto dos que se perdem

No vento que fazia

Ver do que precisam

Pão, Mar ou Poesia

 

Este Natal

Não cruzes os braços

Enquanto houver frio e mesas sem irmãos

Diz com pessoa um poema

Tenho frio e Natal não

Faz Natal

 

Este Natal

Não cruzes os braços

Percorre o dia que esmorece

Com Nemésio pelo canal

Nas ruas cheias de rumor

Onde a alma não desaparece

Hoje é Natal mas pouco amor

 

Este Natal

Não cruzes os braços

Vem sonhar com Sebastião da Gama

Basta a fé no que temos

Basta a esperança naquilo

Que talvez não teremos

Basta que a alma demos

 

Neste Natal

Não cruzemos os braços

 

Sejamos

NÓS E OS OUTROS

 

Fonte: ANAFRE Informa…

amarelejando às 00:12
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 6 de Dezembro de 2010

DESORIENTADA-MENTE

Foto: Amarelejando, Dezembro de 2010

 

 

Orientada,
desoriento-me
na direcção contrária à direcção
conserto o certo
sem passos...

Meta dimensionada,
a mente foge...

prendo-a com os meus laços,
encerro-a no meu templo!


Surro-me.
Serro-me.

Abro
o cerrado espaço interno,
desorientadamente
chego mais perto...

Num desacertado
e incerto acerto
acerto os ponteiros do tempo...

nesse tenso abraço inconsciente

 

 

"Retirado da Internet"

amarelejando às 00:01
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 30 de Novembro de 2010

"I don't know what tomorrow will bring… "

amarelejando às 23:58
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 11 de Novembro de 2010

OBRIGADO MARÍLIA.... E MUITA FORÇA

 

"Porque hoje é um dia especial para mim, vou presentear os meus amigos com este poema:

 

 

 

A minha vida é um mar!...

 

Mar de rosas, mar de espinhos

 

Onde se fecham e abrem caminhos

 

Que atravesso sem me picar...

 

 

 

A minha vida é um mar!...

 

Maré vazia... maré cheia...

 

Onde o canto da sereia

 

Me ajuda a caminhar.

 

 

 

A minha vida é um mar

 

D'águas profundas, tenebrosas,

 

Onde nem tudo são rosas

 

Mas onde passo a cantar...

 

 

 

A minha vida é um mar

 

De aguas calmas e belas

 

Sob um lençol de estrelas

 

Que me ensinam a amar!"

 

  

Marília Costa - 09/11/2010 - Via Faceboock

amarelejando às 18:55
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 20 de Outubro de 2010

PORMENOES V

 

 

Liberdade

 

— Liberdade, que estais no céu...
Rezava o padre-nosso que sabia,
A pedir-te, humildemente,
O pio de cada dia.
Mas a tua bondade omnipotente
Nem me ouvia.

— Liberdade, que estais na terra...
E a minha voz crescia
De emoção.
Mas um silêncio triste sepultava
A fé que ressumava
Da oração.

Até que um dia, corajosamente,
Olhei noutro sentido, e pude, deslumbrado,
Saborear, enfim,
O pão da minha fome.
— Liberdade, que estais em mim,
Santificado seja o vosso nome.   

Miguel Torga, in 'Diário XII'

 

 

amarelejando às 23:20
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 7 de Outubro de 2010

MUNDO ANTAGÓNICO

No copo de água redondo do Sistema Solar,
Surge uma reacção química singular.
As bactérias e os organismos no mar
conseguem a terra dominar.

Quatro eras indomáveis passam,
Cada uma mais bela que a anterior!
Meteoritos as devassam,
Mas chega O Ser "superior"....

O Nosso belo Mundo harmonioso;
Escondia agora um segredo tenebroso!
Sob a camada do azul glorioso,
Subsiste um crime pernicioso...

Há trinta! Decadentes! Lustros:
Uma máquina foi idealizada.
A salvação da civilização?
Não!
A derrota de milhões d' anos d' evolução!!!
Constantemente em repressão,
Até hoje, oh infelicidade disperssante!
A vida tem vindo a vergar-se à capitalização.
E toda a floresta, desesperada, morre, confinante!

Tudo, Hoje, é uma agressão; sensorial!
As "cidades", minadas!
Por dezenas de serpentes;
Brancas, escarlates, amaldiçoadas.
Inacabáveis colunas decadentes...!
E...coloridos matizes?
Não!
mais escamas enegrecidas...
Tantas como as mortes enaltecidas.

A Humanidade...
O seu sentido racional...a mente amante!
Entrou tudo num turbilhão possante
Tal qual vírus absorvente e alarmante.
Catalizado pela doente comunicação,
A qual entrou no quarto da...corrupção.

Se a tragédia estava feita, "a caixa" trouxe pior.
Teratoneladas de nefasta violência e de rumor
Enfatizam guerras e desrespeito humano sem pudor,
Pela imaculada, mas condenada paz até...!
Existem, efémeras, divisórias entre o bem e o mal...
Porém, misturam-se estas numa solução coloidal,
Somente destrinçada por microscópios potentes
Munidos com poderosas, magnas, neurolentes.

Um Mundo multipolar que converge nas cidades
Fazendo pouco do espaço e do tempo com saudade...
Vivendo da esmerada Natureza, qual mãe estafada,
Não em sintonia com ela e esperando que consinta.

Estando o mal realizado, não há mais a compor
Enquanto o ambiente cínico do banco encobrir o seu, fétido, odor,
O Presságio da ganância, da Morte e do Terror,
Jamais deporão os senhores do Mundo do mal...

A Utopia, obstinadamente desejada,
Mantém o pé fora do Universo Físico
Enquanto a confiança mútua for mínima
e o civismo, por satisfação, raro,
Nunca veremos a sua bondosa face.

Religioso ou Comunista,
Rico ou Exilado
Pobre, Capitalista
Popular ou mesmo Ateu,
Só uma mente aberta é feliz.
É justa, é cívica, é livre
Como os elementos,
como foi Prometeu...

 

Este poema foi escrito pelo "misterioso visitante de Shangai " quando tinha apenas 14 anos, um Jovem Astrofísico Amarelejense (ou quase), que passou por Shangai e está neste momento na Holanda, na Universidade de Utretch a desenvolver uma tese de doutoramento em Física Solar.... (mais um mistério desvendado).

   

amarelejando às 23:12
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Domingo, 3 de Outubro de 2010

PORMENORES IV

 

Ruínas

 

Se é sempre Outono o rir das Primaveras,
Castelos, um a um, deixa-os cair...
Que a vida é um constante derruir
De palácios do Reino das Quimeras!

E deixa sobre as ruínas crescer heras,
Deixa-as beijar as pedras e florir!
Que a vida é um contínuo destruir
De palácios do Reino das Quimeras!

Deixa tombar meus rútilos castelos!
Tenho ainda mais sonhos para erguê-los
Mais alto do que as águias pelo ar!

Sonhos que tombam! Derrocada louca!
São como os beijos duma linda boca!
Sonhos!... Deixa-os tombar... Deixa-os tombar.

Florbela Espanca, in "Livro de Sóror Saudade"

amarelejando às 14:45
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Domingo, 12 de Setembro de 2010

E POR FALAR EM PABLO NERUDA

Puedo escribir los versos más tristes esta noche.

Escribir, por ejemplo: «La noche está estrellada,
y tiritan, azules, los astros, a lo lejos».

El viento de la noche gira en el cielo y canta.

Puedo escribir los versos más tristes esta noche.
Yo la quise, y a veces ella también me quiso.

En las noches como ésta la tuve entre mis brazos.
La besé tantas veces bajo el cielo infinito.

Ella me quiso, a veces yo también la quería.
Cómo no haber amado sus grandes ojos fijos.

Puedo escribir los versos más tristes esta noche.
Pensar que no la tengo. Sentir que la he perdido.

Oír la noche inmensa, más inmensa sin ella.
Y el verso cae al alma como al pasto el rocío.

Qué importa que mi amor no pudiera guardarla.
La noche está estrellada y ella no está conmigo.

Eso es todo. A lo lejos alguien canta. A lo lejos.
Mi alma no se contenta con haberla perdido.

Como para acercarla mi mirada la busca.
Mi corazón la busca, y ella no está conmigo.

La misma noche que hace blanquear los mismos árboles.
Nosotros, los de entonces, ya no somos los mismos.

Ya no la quiero, es cierto, pero cuánto la quise.
Mi voz buscaba el viento para tocar su oído.

De otro. Será de otro. Como antes de mis besos.
Su voz, su cuerpo claro. Sus ojos infinitos.

Ya no la quiero, es cierto, pero tal vez la quiero.
Es tan corto el amor, y es tan largo el olvido.

Porque en noches como ésta la tuve entre mis brazos,
Mi alma no se contenta con haberla perdido.

Aunque éste sea el último dolor que ella me causa,
y éstos sean los últimos versos que yo le escribo.

 

 

 

 

 

 

Pablo Neruda, 1924

amarelejando às 02:20
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 2 de Setembro de 2010

EU ESCREVI UM POEMA TRISTE


Eu escrevi um poema triste
E belo, apenas da sua tristeza.
Não vem de ti essa tristeza
Mas das mudanças do Tempo,
Que ora nos traz esperanças
Ora nos dá incerteza
Nem importa, ao velho Tempo,
Que sejas fiel ou infiel
Eu fico, junto à correnteza,
Olhando as horas tão breves

E das cartas que me escreves
Faço barcos de papel!

 

Mário Quintana

 

Nota pessoal: aaaaatchimm, coof, coof ... estou que nem posso, o melhor mesmo é ir tomar um chazinho e ... xixi cama.

amarelejando às 22:31
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 22 de Agosto de 2010

INSÓNIA ALENTEJANA

Amareleja, Agosto de 2010

 

Pátria pequena, deixa-me dormir,
Um momento que seja,
No teu leito maior, térrea planura
Onde cabe o meu corpo e o meu tormento.
Nesta larga brancura
De restolhos, de cal e solidão,
E ao lado do sereno sofrimento
Dum sobreiro a sangrar,
Pode, talvez, um pobre coração
Bater e ao mesmo tempo descansar...

Miguel Torga

amarelejando às 01:27
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 28 de Junho de 2010

AS AUSÊNCIAS ..

 

As ausências geram sons
Que atravessam a linha
Do tempo.

As ausências geram sons
Acordes involuntários
Alheios ao diapasão.

As ausências geram sons
E perpetuam suas presenças
Sem alarde.

Oh, aromas da saudade
Visitando remota canção!

 

Mário Massari

amarelejando às 00:23
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Segunda-feira, 7 de Junho de 2010

AOS AMIGOS

Amo devagar os amigos que são tristes com cinco dedos de cada lado.
Os amigos que enlouquecem e estão sentados, fechando os olhos,
com os livros atrás a arder para toda a eternidade.
Não os chamo, e eles voltam-se profundamente
dentro do fogo.
— Temos um talento doloroso e obscuro.
Construímos um lugar de silêncio.
De paixão.

Herberto Helder

amarelejando às 23:55
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 26 de Abril de 2010

ABRIR A BOCA COM UM SUSPIRO

Olha pra mim, amor, olha pra mim;
Meus olhos andam doidos por te olhar!
Cega-me com o brilho de teus olhos
Que cega ando eu há muito por te amar.

 

O meu colo é arrninho imaculado
Duma brancura casta que entontece;
Tua linda cabeça loira e bela
Deita em meu colo, deita e adormece!

 

Tenho um manto real de negras trevas
Feito de fios brilhantes d`astros belos
Pisa o manto real de negras trevas
Faz alcatifa, oh faz, de meus cabelos!

 

Os meus braços são brancos como o linho
Quando os cerro de leve, docemente…
Oh! Deixa-me prender-te e enlear-te
Nessa cadeia assim etemamente! …

 

Vem para mim,amor…Ai não desprezes
A minha adoração de escrava louca!
Só te peço que deixes exalar
Meu último suspiro na tua boca!…

 

Florbela Espanca

amarelejando às 00:58
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 6 de Novembro de 2009

AMOR

Imagem: Danièle Severi

 

Cala-te, a luz arde entre os lábios,
e o amor não contempla,
sempre o amor procura,
tacteia no escuro,
essa perna é tua? esse braço?,
subo por ti de ramo em ramo,
respiro rente à tua boca,
abre-se a alma à língua,
morreria agora se mo pedisses,
dorme,
nunca o amor foi fácil,
nunca,

também a terra morre.

Eugénio de Andrade

 

amarelejando às 01:40
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sexta-feira, 3 de Julho de 2009

A Saudade Aconteceu

 

Há pouco quando ficaram
Teus olhos presos nos meus
Quantos segredos contaram
Quantas coisas revelaram
Nessa confissão meu Deus
No silêncio desse adeus

Há pouco quando teimosas
Duas lágrimas rolaram
Trementes silenciosas
Deslizaram caprichosas
E nos teus lábios pararam
E nosso beijo selaram

Há pouco quando partiste
Todo o céu enegreceu
Ainda bem que tu não viste
Formou-se uma nuvem triste
Chorou o céu e chorei eu
E a saudade aconteceu

Camané
 

amarelejando às 23:04
link do post | comentar | favorito
|

»Dezembro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
28
29
30
31

»NOTÍCIAS FRESQUINHAS

» FOTOGRAFANDO O MEU ALENTE...

» AMANHÃ O SOL BRILHARÁ

» AOS LEITORES AMIGOS

» PEDRAS NO CAMINHO

» NEM TUDO É FÁCIL

» NESTE NATAL...

» DESORIENTADA-MENTE

» "I don't know what tomorr...

» OBRIGADO MARÍLIA.... E MU...

» PORMENOES V

» MUNDO ANTAGÓNICO

» PORMENORES IV

» E POR FALAR EM PABLO NERU...

» EU ESCREVI UM POEMA TRIST...

» INSÓNIA ALENTEJANA

» AS AUSÊNCIAS ..

» AOS AMIGOS

» ABRIR A BOCA COM UM SUSPI...

» AMOR

» A Saudade Aconteceu

»COMENTADORES DE SERVIÇO

Pois é QuinaComo eramos felizes nessa altura! Fora...
Olá Manuel É claro que não me importo, até agradeç...
Esqueci-me de me identificar: manuelfialho@gmail.c...
Viva!Como revi parte da minha infância neste texto...
Olá, eu gostaria que me pudessem dar uma ajudinha ...
... o título correcto do post seria " Não à extinç...
cidália, ao ler este pequeno texto que tu escrevei...
Esse pôr de sol, eu já vi!Há sessenta anos, ou mai...
É verdade Cidália a Amareleja também foi represent...
sem eu gostar de dizer estas coisas, mas não resis...

»TEMAS

» todas as tags

»O QUE JÁ ACONTECEU

» Dezembro 2011

» Outubro 2011

» Setembro 2011

» Agosto 2011

» Julho 2011

» Junho 2011

» Maio 2011

» Abril 2011

» Março 2011

» Fevereiro 2011

» Janeiro 2011

» Dezembro 2010

» Novembro 2010

» Outubro 2010

» Setembro 2010

» Agosto 2010

» Julho 2010

» Junho 2010

» Maio 2010

» Abril 2010

» Março 2010

» Fevereiro 2010

» Janeiro 2010

» Dezembro 2009

» Novembro 2009

» Outubro 2009

» Setembro 2009

» Agosto 2009

» Julho 2009

» Junho 2009

» Maio 2009

» Abril 2009

» Março 2009

» Fevereiro 2009

» Janeiro 2009

» Dezembro 2008

» Novembro 2008

» Outubro 2008

» Setembro 2008

» Agosto 2008

» Julho 2008

» Maio 2008

» Abril 2008

» Março 2008

» Fevereiro 2008

» Março 2007

» Fevereiro 2007

» Novembro 2006

» Agosto 2006

» Julho 2006

» Maio 2006

Cidalia Guerreiro

Cria o teu cartão de visita

»OS RETRATOS

»PROCURAR

»EM LINHA

online

»POR ESSE MUNDO FORA

free counters

»DESDE ABRIL DE 2009

Web Counters
Dating Charleston